A interessantíssima história dos Vídeo Games

Hoje em dia damos os videogames como adquiridos mas não sabemos sequer metade da sua história. Desde os primeiros jogos programados em texto até aos mais recentes que já se baseiam em cenários reais (renderizando cidades, por exemplo), está uma enorme evolução que nem sempre é visível para nós.

Os videogames nasceram por volta de 1950, quando o estudo da ciência da computação se desenvolveu bem como as simulações e os programas de inteligência artificial, mas só apenas entre 1970 e 1980, na altura em que os computadores começaram a ser comercializados, é que estes “explodiriam”. Também ajudou na difusão dos jogos, o fato de terem surgido os consoles já contabilizando oito gerações.

Super NES
Super NES – Wow, que nostalgia de ver esta máquina!

A década de 70 começou muito bem, considerando o número de jogos lançados nessa altura mas em 1977 a indústria dos videogames sofreu uma depressão, devido aos fabricantes de consoles terem vendido os sistemas mais antigos, tendo grandes prejuízos. Para vencer a crise, criaram-se os consoles de segunda geração, que ao contrário de seus antecessores já possuíam algum software e eram caraterizados por seus jogos serem chips montados em “cassetes”.

Entre 1978 e 1986, surgiu o apogeu dos jogos, que foram criados principalmente por empresas japonesas, como por exemplo Sapce Invaders da Taito (1978) ou Galaxian da Namco (1979) e Asteroids da Atari (1979) tendo vendido 40 mil cópias e 70 mil cópias respetivamente. Um dos jogos mais conhecidos de sempre surgiu em 1980, o Pac-Man que cópias superiores a 350 mil unidades.

A segunda grande depressão da indústria dos jogos aconteceu em 1983, mostrando-se ainda pior do que a primeira. Imensas empresas desta indústria faliram entre o final de 1983 e início de 1984. Foi durante esta crise que os tipos de jogos de diversificaram, mesmo que os mais famosos continuassem a ser os arcade. Uma vez mais a crise foi superada com a evolução tecnológica e então apareceram os consoles de terceira geração, em 1985 com o lançamento da Nintendo.

Zelda Tela Inicial
Zelda Tela Inicial

Games como Super Mario e Legend of Zelda continuam ainda hoje a ser exclusivos desta marca, que durante muitos anos foi topo no mercado, sendo que nos Estados Unidos era a maior marca e na Europa tinha como concorrentes a Commodore 64, Amstrad CPC e ZX Spectrum.

Na década de 90, com o aparecimento dos consoles de quarta (de 1988 a 1999, com 16-bits) e quinta geração (de 1993 a 2006, com 32 e 64 bits, por exemplo, a PlayStation), os jogos arcade tiveram o seu declínio. Foi também nesta altura que surgiram os jogos para telemóvel, nomeadamente, os Nokia.

A sexta geração aprece com a Dreamcast em 1998 e o evoluir das já existentes, PS para PS2, Xbox, entre outras. A sétima geração aprece com os consoles portáteis e sem controladores (Nintendo Wii, PSP, PS3). Hoje em dia, dizem-se consoles de oitava geração como PS4 e Xbox One, ou então em Microconsoles, que além de permitirem jogar na internet, armazenam os jogos no console sem ser precisar de CD’s ou Blu-rays.

Podemos então retirar deste história, que de fato os videogames tiveram uma evolução tremenda nos últimos 50 anos, bem como toda a tecnologia, e que provavelmente o melhor estará para vir. Ou acharemos de jogar com o pensamento, ou ligarmo-nos a uma máquina para nos introduzir num mundo virtual?